Belmonte – uma aldeia histórica

Belmonte é uma das 12 aldeias históricas de Portugal, o local de nascimento de Pedro Álvares Cabral, responsável pela descoberta do Brasil em 1500 e uma terra com uma forte relação com a comunidade judaica.

A tradição diz que o nome Belmonte provém do lugar onde a vila se ergue: monte belo ou belo monte, mas há quem refira que o seu nome é de origem “belli monte” (monte de guerra. É uma terra com uma ampla vista sobre a encosta oriental da Serra da Estrela, com boas gentes, paisagens sem fim e uma história com séculos que vale a pena descobrir. Depois de uns dias em Belmonte partilhamos contigo o que podes ver, fazer e visitar, onde dormir e onde comer para aproveitares ao máximo a tua estadia.

Se vieres da região do Algarve, da zona metropolitana de Lisboa ou Porto deves apanhar a A1 e sair na A23 em direção a Abrantes/Torres Novas/Castelo Branco. Quando estiveres na A23 deves seguir as indicações para Belmonte.

Coordenadas GPS: 40.3349425, -7.3804179

 

O que ver, fazer e visitar em Belmonte:

Castelo

O castelo de Belmonte é do século XIII, está localizado no topo da colina e foi declarado Monumento Nacional em 1927.

Foi residência da família Cabral, à qual pertencia Pedro Álvares Cabral e foi abandonado nos finais do século XVII, por causa de um incêndio no seu interior.

Em 1992 construíram um anfiteatro, onde se realizam muitos espetáculos.  Na antiga Torre de Menagem encontra-se uma exposição permanente com objetos encontrados em escavações no local. Na Torre do Tombo, em Lisboa, é possível ver de perto a carta original onde se comunica a descoberta (o “achamento” do Brasil em 1500 enviada por Pêro Vaz de Caminha ao Rei D. Manuel. Esta carta já esteve presente no Castelo de Belmonte, numa exposição temporária.

castelobelmonte

.

Sinagoga Bet Eliahu

Próxima do castelo localiza-se a Sinagoga, de traça arquitetónica recente, projetado pelo arquiteto Neves Dias.

Belmonte é uma das terras portuguesas onde a presença dos judeus e da cultura judaica está mais presente. Uma comunidade de judeus está referenciada desde o século XIII, testemunhada pelo encontrar de uma epígrafe pertencente a uma primitiva Sinagoga, a qual apresenta a data de 1297. Fixou-se aqui uma importante comunidade judaica, que aumentou substancialmente no séc. XV, quando os Reis Católicos de Espanha publicaram o Édito de expulsão dos judeus em 1492.

A presença de judeus na vila não foi um incidente isolado, tendo-se conhecimento da existência de outras judiarias nas cidades, vilas e aldeias da região. O número de judeus foi posteriormente aumentado com o Édito de expulsão de Espanha. Durante esse período, muitos dos judeus expulsos de Espanha, estabeleceram-se na raia, caso de Belmonte. As casas situavam-se, como era regra, fora das muralhas do castelo, no Bairro de Marrocos, onde ainda se vêem, gravados na pedra junto das portas, símbolos das profissões exercidas pelos membros da comunidade, como a tesoura que identifica o alfaiate.

Com a expulsão de judeus decretada por D. Manuel, posteriormente, a instauração da Inquisição, muitos judeus abandonaram a vila, os que ficaram professavam a sua religião em segredo.

Atualmente a Comunidade Judaica de Belmonte, cuja constituição legal teve lugar em 1988, tem uma Sinagoga nova e um cemitério próprio. A sinagoga foi inaugurada em 1996, quando passavam 500 anos sobre o édito de D. Manuel I de expulsão dos judeus de Portuga. Encontra-se orientada para Jerusalém e tem o nome de Bet Heliahu, em homenagem ao judeu benemérito que ordenou a sua construção.”

Morada: Rua Fonte Rosa, Belmonte

Museu Judaico

Em 2005 o museu Judaico de Belmonte foi inaugurado e tornou-se o primeiro museu em Portugal inteiramente dedicado à história do Judaísmo. As diferentes salas e corredores da sua exposição permanente destacam a comunidade judaica que se instalou emBelmonte.

A comunidade que, durante séculos, resistiu aos éditos de expulsão dos Reis Católicos, ao decreto de expulsão ou conversão de D. Manuel I, ao olhar vigilante da Santa Inquisição e às penas do seu tribunal, é recordada. Podes ver peças da Idade Média ao séc. XX, utilizadas por judeus e cristãos-novos no quotidiano ou nas práticas religiosas encontram-se neste museu. Encontra-se aqui um acervo único de peças, que englobam séculos de história, cultura e tradições judaicas!

Morada: R. da Portela 4

Está aberto de terça a domingo

Horário: 09h00 – 12h30 / 14h00 – 17h30

Encerra: Segundas-Feiras, 1 de janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de maio e 25 de dezembro

 

Museu dos Descobrimentos – Centro Interpretativo à Descoberta do Novo Mundo e a estátua Pedro Álvares Cabral

As estátuas de cada localidade mostram-nos sempre uma parte da História. Na terra natal de Pedro Álvares Cabral, responsável pela armada que descobriu o Brasil no dia 22 de Abril de 1500 não poderia faltar uma estátua em sua honra. Foi inaugurada em 1961 pelo presidente do Brasil Juscelino Kubitschek de Oliveira e lá perto tens uma pedra com um excerto da carta de Pedro Vaz Caminha.

Alusivo aos descobrimentos marítimos portugueses, como um elemento unificador dos novos mundos tens o Museu dos Descobrimentos – Centro Interpretativo à Descoberta do Novo Mundo, um espaço museológico que vale a pena conheceres se gostas de História.

Está localizado no logradouro do Solar dos Cabrais, a antiga residência da familia Cabral. No museu tens uma viagem interativa pelos 500 anos da descoberta do Brasil em 16 salas diferentes. Ao longo da exposição, vários ecrãs interativos dão pormenores interessantíssimos sobre objetos e episódios históricos. Pelo caminho passas por uma sala preenchida por ecrãs do chão ao teto. Podes sentar-te numa das almofadas no meio da sala ou nas cadeiras que lá se encontram para sentir o que seria estar a bordo de uma das naus que navegavam rumo ao Brasil. Na exposição tens ainda contacto com vários pormenores da cultura brasileira como a música e a literatura, detalhes sobre a vaga de imigração de portugueses para o Brasil.

Recomendamos muito a visita a este museu.

Para visitares este museu podes adquirir um bilhete:

Bilhete normal – 5€

Com cartão jovem/estudante – 3€

Para pessoas dos 6 aos 18 anos e reformados – 3,50€

Morada: R. Pedro Álvares Cabral 68, Belmonte

Antigos Paços de Concelho e Pelourinho

Os antigos Paços de Concelho estão localizados no Largo do Pelourinho, na zona histórica de Belmonte. Conta-se que as suas pedras de armas foram mandadas picar pelo Comandante Junot durante as Invasões Francesas por Belmonte não se ter rendido.

Centum Cellas

Está situado em Colmeal da Torre e é talvez o monumento mais enigmático do concelho, cuja funcionalidade tem dado lugar a diversas interpretações, ao longo dos anos, por diversos investigadores: templo, prisão, praetorium de um acampamento romano, mansio ou mutatio (albergaria para descanso dos viajantes), villa romana.

De acordo com os estudos feitos após as escavações efetuadas na década de 90, seria uma vila romana do Século I d.C., propriedade de Lucius Caecilius e dos seus descendentes que se dedicariam à exploração agrícola e de estanho que abundava nesta Região. A Torre compunha-se de dois andares. No local, são visíveis vestígios de outras estruturas.

 

Solar dos Cabrais (atual Biblioteca / Arquivo Municipal)

O Solar dos Cabrais é o nome por que é conhecida a antiga residência da família de Pedro Álvares Cabral. Neste edifício encontra-se atualmente a Biblioteca e o Arquivo Municipal de Belmonte.

Morada: Rua Pedro Álvares Cabral, 68, Belmonte

 

Ecomuseu do Zêzere

Localizado na antiga Tulha (celeiro) dos Cabrais podes conhecer o percurso do rio Zêzere desde a nascente até à foz, a sua fauna e a flora.

Historicamente os Cabrais foram a mais importante família de Belmonte, grandes proprietários construíram este celeiro em frente ao seu solar tendo ficado a edificação para sempre conhecida como Tulha dos Cabrais.

Morada: Rua Pedro Álvares Cabral, Belmonte

Está aberto de Terça a Domingo

Horário: 09h00 – 12h30 / 14h00 – 17h30

Encerra: Segundas-Feiras, 1 de janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de maio e 25 de dezembro

 

Igreja de Santiago e Panteão dos Cabrais

A Igreja de Santiago e o Panteão dos Cabrais formam um conjunto classificado como Monumento Nacional, construída em 1240. Está localizada num dos caminhos de peregrinação a Santiago de Compostela e é um dos locais a que os peregrinos recorriam no decorrer do seu percurso.

No interior da igreja é possível ver ainda vestígios de frescos no seu teto e paredes e uma Pietá (escultura de Nossa Senhora da Piedade) com cerca de 1,5m de altura, do século XIV.

Junto à Igreja encontra-se ainda o Panteão dos Cabrais onde estão guardadas as cinzas de Pedro Álvares Cabral e outros membros da família.

Horário de Inverno: 9h00 – 12h30 / 14h00 – 17h30

Horário de Verão: 9h30 – 13h00 / 14h30 – 18h00 (15 de abril a 14 de setembro)

Encerra às Segundas-feiras, 25 de dezembro, 1 de janeiro, Domingo de Páscoa e 1 de maio.

Morada: Largo do Castelo, Belmonte

 

Ruínas romanas da Fórnea


“A Quinta da Fórnea é um conjunto de ruínas romanas que remonta o século II e está localizada entre Belmonte e Caria. Foi descoberta recentemente aquando da construção da A23 em 1999.

“As escavações revelaram várias peças romanas, pelo que se supõe, ter sido uma propriedade habitada por uma família e os seus criados. Esta estava construída com várias divisões, algumas delas ainda bem definidas, lagar de azeite, vinho, transformação de cereais, fundição de ferro, estábulos para animais. Todo o núcleo estava ligado por um sistema de caleiras que permitiria o abastecimento e circulação de água.

Foram também colocadas a descoberto umas termas, com os tradicionais tanques, que permitiriam banhos de diferentes temperaturas (frigidarium, tepidarium, caldarium), um deles apresentando paredes com mais de 1,50 metros de altura, com vestígios de escadas e revestido a opus signinum. Além dos tanques, descobriram-se também vestígios do hipocausto e apoditerium que completariam o equipamento de umas termas. Foram também descobertos vários compartimentos, provavelmente relacionados com a habitação dos proprietários e dos seus dependentes.

Todas estas estruturas, assim como a zona da entrada da vila e todos os espaços vazios que estariam ocupados com colunas e espaços ajardinados, comprovam a grandeza e riqueza dos seus proprietários.”

Texto da Câmara Municipal de Belmonte

 

Estátua de Zeca Afonso

Sempre que exploramos uma localidade em Portugal podes encontrar figuras que marcaram a nossa história. Belmonte não é exceção.

Repara nos títulos destas canções:

👉 Grândola, Vila Morena

👉 Traz outro amigo também

👉 O que faz falta

👉 Venham mais cinco

👉 Cantigas de Maio

👉 Senhora do Almortão

👉 Era um redondo vocábulo

👉 Cantar alentejano

👉 Natal dos simples

👉 Canção de embalar

👉 Vejam bem

👉 A morte saiu à rua

👉 De não saber o que se espera

👉 Maria Faia

👉 Alípio de Freitas

👉 Que amor não se engana

👉 A acupunctura de Odmira

👉 A formiga no carreiro

👉 Adeus serra da lapa

👉 Ali está o rio


Estas são 20 músicas das mais conhecidas de Zeca Afonso, um poeta, cantor e compositor português, que viveu em Belmonte.

Em 1939, após ter regressado de Moçambique, viveu alguns anos em Belmonte com uma avó e um tio. Atualmente tem no Largo Afonso Costa, em Belmonte, uma placa de homenagem que regista que, afinal, esta terra também foi sua – e teve, ao fim ao cabo, influência na incontornável figura da música popular portuguesa que acabou por se tornar.

 

Museu do Azeite

Criado num antigo lagar, o museu do azeite em Belmonte foi criado com o objetivo de ensinar aos visitantes o processo de produção tradicional do azeite, bem como a importância que assumiu na economia local.

Desenvolve-se em três pisos e é possível encontrar as velhas mós e prensas, em que era produzido o azeite da vila até 1995. Pretende-se que cada visitante conheça “Explicação do Processo Produtivo Local”, “Tipos de Azeite” e “O Futuro do Azeite – Experiências de Valorização”.

No exterior podes disfrutar de uma área de lazer, com a preservação de um olival e onde se localizam a maioria dos suportes informativos, com os seguintes temas:


🔸 “A Oliveira e a Civilização”

🔸 “A Oliveira em Portugal”

🔸 “Olivais da Cova da Beira”

🔸 “A importância Ecológica do Olival”

🔸 “Ciclo anual da cultura da oliveira e produção de azeite”

🔸 “Introdução à tecnologia do Lagar de Belmonte”.


À saída, podes degustar diversos tipos de azeite e no exterior podes contemplar um olival, assim como o Zêzere, que corre nas traseiras do edifício.

 

Casa da Torre

A Casa da Torre foi um dos monumentos que visitámos e que recomendamos.

“Foi construída no início do século XIV para servir de residência aos Bispos da Guarda. Esta edificação revestia-se do maior significado, uma vez que depois do restabelecimento da antiga diocese da Egitânia, em 1190, foi necessário disputar com a Diocese de Coimbra os antigos territórios da sua jurisdição. Caria era uma das mais importantes povoações da renovada diocese.

«No centro da vila está a Casa da Torre, o paço episcopal dos bispos da Guarda, construída sobre os vestígios remanescentes do castelo de Caria. Esta casa, de grandes dimensões, impõe-se na paisagem urbana da vila, demonstrando o poderio senhorial da diocese que patrocinou a sua edificação.»

A Casa da Torre foi construída no início do século XIV para servir de residência aos Bispos da Guarda. Esta edificação revestia-se do maior significado, uma vez que depois do restabelecimento da antiga diocese da Egitânia, em 1190, foi necessário disputar com a Diocese de Coimbra os antigos territórios da sua jurisdição. Caria era uma das mais importantes povoações da renovada diocese.”

Quando entrares na Casa da Torre – Museu do Território em Belmonte tem cuidado com a senhora Olga Fernandes! És capaz de ficar completamente rendido na visita guiada, com as histórias que te conta e com as explicações que te dá vais perceber a importância de visitar e conhecer os museus de Belmonte.

Podes fazer visitas de forma autónoma, com áudio guias, mas ser recebidos por uma pessoa que te apresenta os espaços, fala com tamanha paixão é sem dúvida uma mais valia. Parabéns à senhora Olga Fernandes pelo profissionalismo, por trabalhar no que gosta e com um sorriso no rosto.

É o turismo no interior do país a dar cartas e bons exemplos (e há tantos museus que já visitamos que precisam de uma Olga)!

Partilhamos contigo as recomendações da nossa guia: a compra do bilhete que te dá acesso aos 5 museus, ao castelo e a Caria

👉 Bilhete normal – 12€

👉 Pessoas dos 6 aos 18 anos, com cartão jovem ou de estudante e reformados – 10€

fonte: beira.pt

 

Casa da Roda

Esta foi a história que mais me impressionou e que apesar de ter sido construída por uma boa causa, deixou-me triste.

A casa da Roda foi construída a pedido da Rainha Maria I (A Piedosa) em 1784 porque havia muitas crianças que eram abandonadas ou morriam devido a pobreza extrema no país e também para poder haver mais população no interior do País, com o resgate desses recém-nascidos.

Pela calada da noite, no escuro, vinham até à casa da roda, situada num lugar mais afastado da população e colocavam na roda o bebé, alguns com um botão, uma fita, um lenço que marcasse aquela criança para que a pudessem ir buscar, quando a vida melhorasse; outros eram os enjeitados, filhos de mulheres que eram solteiras, casadas e até da corte que não os podiam ter e eram mesmo abandonados.

Nessas casas estavam sempre senhoras 24 horas por dia para receber e tratar das crianças e quando se pedia a amas de leite para trazer leite aos bebés é claro que primeiro alimentavam os seus filhos e depois já não havia para aquelas crianças.

A certa altura a monarquia criou um subsídio para pagar mulheres que eram amas de leite, mas aconteceu o que acontece em todos os lados, elas abandonavam os próprios filhos na casa e deixavam uma marca na criança, diziam que queriam ser amas daquela criança e alimentavam os seus filhos, com o apoio da corte.

Muitas eram falsas: para adquirir esse apoio e já havia muitos roubos às custas desse apoio. Morreram na mesma muitas crianças e nem te conto como que é muito triste.

Como podes imaginar esta foi uma das casas que resistiu ao tempo e ainda moraram ali famílias. Depois a casa foi restaurada e transformada num museu, mas só de estar dentro daqueles 5 metros quadrados senti-me toda arrepiada e estranha. Deus tenha em Paz todas aquelas alminhas.

Outros pontos de interesse que podes visitar e explorar:

A prensa
Câmara municipal de Belmonte
Candeladro “Hanukkah”
Capela de Santo AntãoCapelas de Santo António e do Calvãrio
Casas Arte Novo
Castro da Chandeirinha
Cruz de Madeira de Pau Brasil
Fonte grande
Igreja matriz
Judiaria de Belmonte
Pelourinho de Belmonte
Parque de merendas Santo Antão
Parque Santiago

 

Onde dormir em Belmonte:

👉 Hotel Belson

Este magnífico hotel tem uma soberba localização entre as cidades da Covilhã e da Guarda em Portugal. O hotel goza de vistas espetaculares sobre o Vale Zêzere e a Serra da Estrela. Os hóspedes vão ver-se a apenas 750 metros do centro fervilhante de Belmonte, com fácil acesso às principais atrações e pontos de interesse que a zona tem para oferecer.

👉 Pousada Convento De Belmonte

Em Belmonte (na área de Belmonte e Colmeal da Torre), a Pousada Convento De Belmonte fica a apenas 5 minutos de carro de Museum of Discovery e de Museu Judaico de Belmonte.

Esta pousada de 4 estrelas fica a 2 km de Museo dell’olio d’oliva e 2,2 km de Sinagoga de Belmonte. Aproveite as opções de lazer, como uma piscina externa, ou aprecie a vista em um terraço e um jardim.

👉 The Vagar

TheVagar, em Belmonte (Belmonte e Colmeal da Torre), fica perto de Museum of Discovery e Museo dell’olio d’oliva. Podes relaxar com massagens no local ou aproveitar a piscina no exterior.

👉 Belmonte Sinai Hotel

É um alojamento de 4 estrelas em Belmonte, a 41 km do Parque Natural Serra da Estrela e a 500 metros da Capela do Calvário de Belmonte. Serve um pequeno-almoço continental ou kosher. O hotel situa-se a 18 km do Skiparque de Manteigas e a 26 km das Termas de Manteigas.

Link para registo gratuito como cliente e reservas [>]

 

Onde comer em Belmonte:

👉 Restaurante Casa do Castelo

Com um ambiente acolhedor, pitoresco
e tranquilo, o Restaurante Casa do Castelo tem disponível um menu composto por
pratos baratos típicos da zona. Está localizado perto do Castelo.

Morada: Largo de
Santiago, Belmonte | Contacto: +351 275 181 675

👉 Restaurante da Pousada Convento de Belmonte

Inserido na Pousada Convento de Belmonte, a 1km de Belmonte, este restaurante oferece vistas fantásticas sobre a Cova da Beira e a Serra da Estrela e um menu composto por pratos típicos da região com um toque sofisticado.

Morada: Serra da Esperança, Belmonte | Contacto: +351 275 910 300

Festas e Eventos Especiais em Belmonte:

Feira Medieval de Belmonte: em meados de agosto

Mercado Kosher de Belmonte: em setembro

Procissão em Honra a Nossa Senhora da Esperança: 25 e 26 de Abril

 

Aldeias Históricas mais próximas:

Sortelha – 19 kms

Castelo Novo – 47 kms

Nas Redes Sociais:

Mais artigos

Catedral de Santarém

A catedral de Santarém é também conhecida por Igreja de Nossa Senhora da Conceição e foi construída nos séculos XVII e XVIII, sobre as ruínas do Paço Real. Tem um

Ler este artigo »

Jardim Portas Sol

Adoro jardins e um dos pontos turísticos mais falado de Santarém é o Jardim das Portas do Sol. Este é um jardim muito especial, sabes porquê? O caminho até lá chegar

Ler este artigo »

Teatros em Lisboa

Lisboa continua a concentrar muito da vida cultural que acontece no país e os teatros são um bom exemplo disso. Há quanto tempo não vais ao teatro?Hoje deixo-te algumas sugestões

Ler este artigo »

Deixe-nos ajudá-lo a planear a sua próxima aventura

O que achas deste artigo?

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *